Desde 2019 temos vindo a prestigiar e acompanhar a produção de um certo ramo da música em Portugal. Com um jeito de investigar e conectar relações apreendidas ao longo dos anos que passamos mergulhadas na dança e no trabalho social artístico,pedagógico,cultural… fomos ouvindo que a curadoria e a programação podem se dar através do estabelecimento de relações de continuidade, entre os artistas, os diferentes públicos e as instituições parceiras. 

 

De dentro do c.e.m -centro em movimento acompanhamos e integramos equipas desde a concepção até a execução e prestação de contas de diversos projetos coletivos como o documentário Do Corpo à palavra (2008) ou o projeto TOCA (2010/2011)ambos apoiados pela Fundação Calouste Gulbenkian e pela CML. Em 2016 fizemos parte da emergência do Coletivo Lagoa, associação cultural sem fins lucrativos, que acolhe a afárá como uma das suas linhas de atuação. Com a Lagoa desenvolvemos nos últimos seis anos, um projeto educativo próprio e estabelecemos uma rede de parcerias e apoios que têm tido a chance de contar com apoios pontuais da DGartes por ex. no seu projeto mais recente, a criação Será Sereia? espetáculo de rua, ou o apoio da GDA para o espetáculo-instalação para bebés e famílias JUNTO, e ainda a estreia com uma co-produção por parte da CULTURGEST/Serviço Educativo para o espetáculo comunitário e coletivo: MUTIRÃO (2016).

 

Continuamos conhecendo pessoas, lugares, movimentos… Em setembro de 2020, fizemos o concerto de lançamento da afárá na novíssima Casa do Capitão, espaço comandado pela experiente e destacada produtora CTL - Cultural Trend Lisbon. Este concerto reuniu no palco, Rodrigo Brandão, artista de spoken word, nosso primeiro parceiro oficial, e músicos improvisadores que fomos conhecendo e estreitando laços desde o início: o saxofonista Rodrigo Amado, o contrabaixista Hernâni Faustino, o baterista João Valinho e a Carla Santana nas eletrônicas. 

 

Temos acompanhado o percurso de Rodrigo Brandão muito de perto, criando com ele, projetos e parcerias de futuro. LX LIVRE - Sintonia Encontro Presença, é a nossa grande aposta para encerrar o ano de 2021 e abrir caminho para o ano de 2022. Temos apoio do programa Garantir Cultura para esta iniciativa e da Fundação GDA para a gravação do disco que envolve cerca de 15 músicos,e uma equipa de mais de 20 profissionais das artes, entre Brasil e Portugal. 

 

Destacamos também com uma enorme alegria, a parceria com o trompetista português Luís Vicente, com quem já realizamos um projeto de circulação apoiado pela Fundação GDA, no mês de julho de 2021. Trouxemos a Portugal o saxofonista norte-americano radicado em Amsterdam John Dikeman, o baterista holandês Onno Goevart e o norte-americano Luke Stewart, um dos mais destacados contrabaixistas da atualidade. A tour passou por salas reconhecidas pelo país como a GNRATION em Braga, ZDB, a Casa de Cultura de Setúbal, o Salão Brazil em Coimbra, os Maus Hábitos no Porto e o Grémio Caldense nas Caldas da Rainha. 

 

 Os artistas colaboradores: 

Rodrigo Brandão, Luís Vicente, João Valinho, Yedo Gibson, Rodrigo Amado, Hernâni Faustino, Carla Santana, Thiago França, Guilherme Granado, Marcos Gerez, Pedro Melo Alves, Raquel Reis. 

 

 instituições-apoios: 

c.e.m - centro em movimento, Casa do Capitão/CTL.

 

 instituições/concertos realizados: 

Penhasco/Lisboa, Salão Brazil/JACC/Coimbra, Casa da Cultura de Setúbal, Grémio Caldense/Caldas da Rainha, SMUP/Parede, ZDB/Galeria Zé do Bois/Lisboa, gnration/Braga, Município de Ponte de Lima, Vila Franca de Xira. 

historial.png